A toxina botulínica, popularmente conhecida pelo nome do seu medicamento de referência, o Botox, não é utilizada só para estética como muitos conhecem. Este é um tratamento nível A de evidência para a enxaqueca crônica.

Como identificar que a forma da minha enxaqueca é crônica?

Atribuímos o diagnóstico de enxaqueca crônica para pacientes que preenchem critérios para enxaqueca e ainda apresentam pelo menos 15 dias de dor por mês, nos últimos 3 meses. Estes pacientes apresentam uma sensibilização central (ativação “permanente” do sistema trigêmino-vascular) e por isso respondem ao tratamento com a toxina botulínica enquanto os outros enxaquecosos não.

Entendido que a toxina trata apenas a enxaqueca crônica queremos deixar outro ponto bem claro: Na enxaqueca a toxina botulínica não tem função apenas de relaxamento muscular. Ela também age nas terminações nervosas sensitivas e autonômicas, estando relacionada com a liberação de substâncias vasoativas que fazem parte da inflamação neurogênica asséptica (CGRP, glutamato, substância P, entre outras).

A eficácia deste tratamento foi evidenciada nos pacientes com e sem diagnóstico/história de uso excessivo de analgésicos.

A padronização da sua aplicação foi feita em 2010 (protocolo PREEMPT). Os pontos de aplicação variam de 31 (protocolo básico) a 39 pontos (unidades adicionais/ extras), envolvendo de forma ampla a região de cabeça e cervical. A frequência é de 3/3 meses, preferencialmente por 4 a 5 ciclos. É utilizado um frasco de 200 UI por aplicação.

Imagem retirada da bula do botox (Bula para o Profissional de Saúde)

A toxina botulínica pode ser usada tanto como primeira opção quanto após falha de preventivos orais, respeitando rigorosamente a indicação diagnóstica (migrânea crônica) e o protocolo preconizado (PREEMPT).

É importante que o médico oriente sobre expectativas realistas sobre o efeito da medicação (50% dos pacientes respondem 50% na primeira aplicação com melhora progressiva nas próximas aplicações).

Como é feita a aplicação?

A aplicação é feita no próprio consultório. Primeiro é feita a higiene da pele seguida por marcação dos pontos que serão aplicados (cuidado para não ter efeitos estéticos indesejáveis). Para a aplicação da toxina, utilizamos uma agulha muito pequena e fina, o que minimiza a dor na hora da aplicação. O paciente é liberado do consultório após o término da aplicação com todas as orientações.

Não é comum efeito colateral sistêmico após sua aplicação. As principais complicações são localizadas:

  • dor ou pequenos hematomas no local da agulhada,
  • efeito estético (para evitar, é feito uma avaliação minuciosa dos pontos aplicados e feito orientação de cuidados pós aplicação)

Quais são as orientações para o pós procedimento?

  • Evite esforços físicos excessivos (principalmente pegar peso/atividades físicas aeróbicas) por um período de 24 horas. Aproveite esse período para relaxar !!!
  • Evitar deitar-se por um período de até 4 horas após o procedimento. Nas regiões da aplicação, não massagear, coçar ou esfregar, neste mesmo período.
  • Você pode maquiar-se e frequentar salão de beleza normalmente após 12 horas do procedimento.
  • Pode aplicar compressas geladas que ajudam a diminuir mais rápido sinais de dor ou hematomas (apenas após 4 horas do procedimento)
  • Caminhadas leves são permitidas!
  • Procure uma avaliação especializada. O sucesso do tratamento depende da indicação bem feita e da realização adequada da técnica.